terça-feira, 27 de setembro de 2011

Lembrando


Acordei com a voz rouca, e uma falta de ar muito grande, os meus olhos estavam aparentemente cansados da noite de sono mal dormida, então coloquei meus pés frios no chão gelado e dei alguns passos até o banheiro com cheiro de alecrim,liguei o chuveiro e deixei algumas gotas de água se confundirem com poucas lagrimas quentes que derretia-se pelo meu rosto,depois dessa deságua de rio corrente sobre mim o ar começou a circular de volta pelos pulmões.
Tomei um café quente e amargo que fez com que minha voz voltasse ao normal,mas o timbre não era o mesmo, nunca mais foi!
Minha casa empoeirada e meu radio antigo me dedicaram algumas horas de saudade, era tudo muito nostálgico, era estranho porque nunca tinha me sentido assim antes, sabia que alguma coisa iria acontecer, mas deveria saber o que!

O dia passou arrastado, e eu me arrastei por ele!

Me perdi em um abismo que sabia onde deveria me achar, então soube que o tempo era o melhor remédio pra uma cabeça vazia de sonhos e desejos, existe um jeito de perder a memoria propositalmente, porém sabia dos riscos, e estava disposta a me deixar levar por eles.

segunda-feira, 26 de setembro de 2011


Tem dias que acordo com uma revolta muito grande dentro de mim, revolta por perder os planos e por não realizar os sonhos!
Já outros certos dias acordo com uma paz muito grande por viver da forma como vivo e por não ter que amar ninguém pra me sentir completa. Quem realmente deveria estar comigo de uma forma ou de outra está (definindo está: ficar perto, se fazer presente sem necessidade de algo em troca.).
As pessoas precisam de beleza, de luz, de apego, precisam olhar por cima do muro, mas, não fazem isso.
Sabe realmente o que as pessoas merecem, elas merecem seu desapego, todas elas, afinal ninguém está ligando pra o que você sente nem para suas necessidades o único bem estar que importa é o delas, incrivelmente falando pra gente o que nós já sabemos, eu tive que aprender a ter revolta sim para tornar as coisas alem, tive que aprender a lidar com determinadas situações que jamais imaginei ter que passar, mas passei, e estou com total controle diante delas agora.
Não espere jamais nada desse mundo agora, ele não ira te dar nada, mas você tem tudo o que quiser, agora basta querem.
Eu não me privo de nada que possa me fazer bem, só me privo das coisas ou pessoas que sei que não me fazem feliz, e agora tomei uma decisão importante, agora eu me privei de um mundo em que nada me complementa, um mundo vazio e sem acríssimos felizes.
As palavras são: - Não preciso e não quero! (. final)

Busque outras fantasias, ilusões ou desejos, o meu sangue não precisa do seu coração para continuar circulando me meu corpo.

terça-feira, 13 de setembro de 2011

A cura


Um homem tinha uma doença que com o tempo acabou por consumir todo o seu corpo, começou pelo seus olhos,depois tomou conta da sua mente, das suas lembranças, depois tomou conta de todo o tempo dos seus dias...
Então essa doença se induziu no seu jeito de pensar, de andar,de se vestir e nos lugares que frequentava com as pessoas que andava!
Ela tinha cheiro próprio, tinha um calor de quase quebrar os ossos, trincava os seus dentes de ódio, fazia tremer as pernas bambas, turvava a visão, era uma mazela muito cruel!
As vezes o coração acelerava até quase sair da boca, mas tinha um outro lado também, já que o fim era muito próximo e ele sentia certas sensações de alegria e felicidade aguda, enxergava mais beleza em certas coisas e dava mais valor a certas outras.
Com o tempo perdeu grandes amigos, fez outros melhores, e passou a viver de outras formas...
Mas aquele homem sabia que poderia vencer aquela doença tão calorosa se quisesse, era só se afastar, não ouvir, não ligar,respirar novos ares, e talvez ate morrer de saudade mas nunca de amor!
Assim ele fez,inventou novas prioridades para que seu tempo pudesse ser demasiadamente preenchido, adquiriu hábitos solitários para refletir sobre o passado tirado e o rastro que ficou de todo aquele tempo de rimas pobres e sentimentos jamais correspondidos.
Ele desistiu de tudo, da sua vida de rei, foi morar em uma casa com poucos moveis, muita poeira, quintal e casa na arvore, dese modo conseguiu enxergar e ouvir da própria doença que aquela só morava em seu subconsciente, que não haverá de temer pois deus dava o frio conforme o cobertor ou o fogo da lareira.

Eu aprendi com esse homem que deve se prevenir de certas doenças com o coração vazio e a mente sanã pois barulho demais atrapalha e silencio demais incomoda, assim como sentimento demais embriaga e dá resseca!