quinta-feira, 9 de outubro de 2014

Vazia demais, até esborrar !

Já faz algum tempo que não venho aqui, nem com meias palavras, nem poucas, nem palavra alguma! A justificativa mais bem elaborada pra isso é que tudo me foge das pontas dos dedos,antes era como abrir uma gaveta e encontrar por lá tudo que eu precisava, agora não existe nada, a verdade é que a gaveta está vazia. Tenho tido que contornar as poucas marcas faciais com sal demais, sabe como é né aquela água salgada!? Pois bem, de nada tem me adiantado o que tenho presenciado ao meu viver. Ouvi dizer algumas vezes que viver é um oficio, uma arte, um prazer, mas eu não entendo. Suponho que o que atrapalhe seja a necessidade teimosa do outro, não nos acostumamos com nós mesmo porque não nos suportamos, não somos o suficiente pra nos mesmo(ou pra nós dois) porque não se contenta com o que já se tem. Acho também que a culpa ainda é minha, a culpa de não haver nada na gaveta é toda minha, porque fui eu que na verdade não coloquei nada lá. Não se pode colocar na gaveta nossa o que não é nosso, não se pode procurar na nossa gaveta o que nunca foi depositado la, o que pus na minha gaveta foram ânsias, foram desejos meus, por isso que não encontro nada lá, agente se acostuma com o que é nosso, agente nem percebe que tem aquilo com o passar do tempo, e o que tem agora dentro da minha gaveta foi o que eu mesma coloquei lá. Ninguém nunca vai encher sua gaveta até bagunçar, as vezes é de achar graça uma gaveta bagunçada demais, mas só quando sabemos mexer na nossa própria bagunça.

Nenhum comentário:

Postar um comentário